Domingo, 8 de Julho de 2007

Como vence-las??

Domingo... 6 da tarde.

Nada se faz, nada apetece fazer. Estou mais um fim de semana em casa sozinha e sem nada para fazer.

Apetece-me escrever, apetece-me dormir, apetece-me falar, sair mas olho lá para fora e a natureza mostra-me o quanto é forte o vento, que teima em abanar as árvores.

O sol brilha, o céu está azul, mas há um vento que teima em romper... E por analogia penso em mim, penso que também eu posso ser forte e derrubar as árvores que aparecem no meu caminho, apesar de muitas vezes não passar de uma ligeira brisa.

Não é que seja vingativa ou prepotente, nada disso, nunca em tempo algum passei por cima de quem quer que fosse para alcançar o que desejava. Sempre fui justa a lutar e nunca me recorri de truques sujos para vencer. Sou honesta na minha forma de lutar, algo que muito pouca gente nos dias de hoje sabe o que é.

São poucas as pessoas que sabem o que é cortesia, amizade, honra, sinceridade e respeito pelo outro...eu por mim, tento todos os dias da minha vida reger-me por estes valores e no meu círculo de amigos e pessoas especiais, também só entram quem partilha dos mesmos valores.

Não gosto de hipocrisia nem falsidade e encaro muito mal todas as pessoas que recorrem a estes pseudo-valores como forma de vida e de agir perante o mundo. Cada vez mais tentamos passar por cima dos nossos sentimentos e valores para alcançarmos aquilo que tanto queremos...e não me refiro somente a melhores posições na carreira ou a objectos que tanto ansiamos, mas também a pessoas e sentimentos.

Isso revolta-me e faz-me sentir impotente perante comportamentos que não sei como lidar.

Apesar de ser mulher, nunca soube muito bem como "persuadir" alguém e por isso levei na cabeça por algumas vezes.

Agora que me lembro, é interessante o facto de eu nunca ter utilizado aquelas artimanhas que nós mulheres costumamos usar quando queremos "prender" alguém.

"Artimanhas" mesquinhas e que mais dia menos dia, acabam por vir ao de cima.

Um dia, quando menos esperava fui surpreendida por uma dessas artimanhas, a mais antiga de todas: "acho que estou grávida".

Na altura, eu e o meu ex. estavamos zangados mas tinhamos uma relação muito forte, até porque nenhum de nós levava muito a serio as zangas e as separações...acabavamos sempre por voltar.

Eram os arrufos normais dos namorados...também foram 7 anos!!heheh!

Mas essa zanga tinha sido diferente e um dia soube, não por ele, mas por meu próprio instinto que ele estava a sair com alguém. Sentia algo diferente nele e como sempre, lá vou eu a perguntadeira.

Fui sincera e recta com ele e perguntei-lhe no mesmo instante se havia outra pessoa. Ele na altura não me conseguiu responder, mas após breves minutos acabou por me confirmar.

Nós que já tinhamos algumas coisas em comum e como aquilo para mim não tinha passado de mais um arrufo entre namorados, antes de eu saber que ele andava com outra pessoa, acabei por não falar das coisas em comum.

Mas quando soube, achei por bem conversarmos e sabermos como fazer as coisas.

Fui sincera com ele, como sempre fui e disse-lhe que gostava muito dele, mas se ele era feliz, que então fosse em frente.

Ele achou por bem que não, que tudo tinha sido um erro e aquelas saidas com a tal rapariga não tinham tido qualquer importância. Reconheceu que tinha ido longe demais e que aquilo que sentiamos um pelo outro era sim, o mais importante.

As coisas voltaram ao normal, ele afastou-se dela e não é que para meu espanto, a tal rapariga lhe começa a ligar, pedindo-lhe para se encontrar com ele. Um dia chega-me a casa e diz-me: "Morzinho, ela diz que está grávida".

Entrei em choque. Não sabia o que fazer ou dizer, mas também conhecendo-a como conhecia, algo me dizia que aquilo não passava de uma "artimanha" bem montada para nos separar.

Mais tarde, viemos a perceber que eu tinha tido razão, já que ela de tanta persistência acabou por cansar e contar a verdade.

E vocês perguntam-me: "E se fosse mesmo verdade? Se ela estivesse mesmo grávida?"

Eu respondo-vos tal como respondi ao meu ex. nesse mesmo dia: "Se for verdade, essa criança não tem qualquer culpa do que aconteceu. E se é para ficarmos mesmo juntos, então vou ajudar-te em tudo. Dar-lhe-ei todo o amor e estarei contigo, apoiar-te-ei em tudo o que precisares."

Uma vez mais fui sincera, coloquei as cartas na mesa, não persuadi ninguém nem tentei jogar com sentimentos para ficar com a pessoa que na altura estava...até porque não é bem o meu género fazer esse tipo de coisas.

Numa outra ocasião lidei com uma "jogadora" bem mais inteligente.

Não utilizava as "artimanhas" consideradas normais. Ela jogava de forma diferente, sabia esperar o momento certo e "atacar" de forma certeira. Não se importava de esperar o tempo que fosse, ela sabia que no fim tudo iria ser como ela queria.

E não é que foi, ela acertou...

Ela conhecia as pessoas com quem estava a lidar, era analista e estremamente observadora. Conhecia os pontos fortes e fracos de ambos e por muito que eu tentasse virar o puzzle, ela arranjava sempre forma de controlar a situação.

Com ela também agi de forma clara, mas ela sem dúvida alguma soube "matar a jogada" e acabar de forma vitoriosa.

Ainda tentei, mas ela era definitivamente a vencedora à partida.

Daquela vez o meu vento não soprou mais forte, mas não quer dizer que eu me tenha comportado como uma simples brisa em dias quentes de Verão. Nada disso.

Também fui forte, lancei rajadas, tentei derrubar árvores e quantas vezes me enfurecia como as ventanias em dias de Inverno rigoroso...Mas a outra força era bem mais astuta que eu.

Foi um "confronto" interessante.

Com ela aprendi muito e naquele momento fiquei a perceber o tamanho da minha força e da minha fraqueza. Soube detectar os meus pontos fracos, aprendi a contorna-los e fiquei a perceber que nem sempre podemos mostrar o jogo, porque assim o adversário apanha-nos muito mais depressa (conselho de mãe)

Não passei a agir como ela mas demonstrou-me como é que as mulheres, seres interessantes, bonitos e muito inteligentes, conseguem dar a volta a questões consideradas perdidas.

Passei a ser mais astuta e determinada, mas à minha maneira, sem nunca passar por cima de ninguem. Aprendi bastante com ela e muito embora na altura tenha sentido um gostinho amargo da derrota, porque senti e muito, hoje dou-lhe os parabéns, porque soube agir, esperar e dar às palavras a força e a determinação que lhe eram inerentes e que eu na altura, por muito que tentasse não consegui fazer, daí ter saído em 2º lugar.

Tal como diz Paulo Coelho "existem derrotas mas ninguém escapa delas. Por isso, é melhor perder alguns combates na luta pelos seus sonhos, que ser derrotado sem sequer saber por que está lutando." in Na Margem do Rio Piedra. 

E porque agora pensar nisto...sinceramente não sei, mas quando estou sozinha dou por mim a pensar em coisas que vivi ao longo da minha ainda curta vida.

Ganhei muitas vezes, mas também perdi por algumas vezes. Na altura, no momento custou-me bastante mas agora considero que essas pessoas não me mereciam...se me merecessem, teriam optado ou agido de outra forma. É simples.

Este foi um conselho ou talvez mais uma nota de alguém que me lembrou da diferença entre o verbo merecer em detrimento do verbo não ter.

I'm feeling: ready...start
publicado por fofinhatuga às 17:53
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De natacha a 18 de Julho de 2007 às 17:23
anjo, só tu para escreveres literalmente tudo o que vai dentro de ti...
és como eu...
será que nos está nos genes?!?!?
estamos a passar por situações tão idênticas...
espero que o tempo e o destino tenham alguma surpresa agradável reservada para nós...
porque depois de todo este mal estar, já merecemos qualquer coisa de bom...
que os anjos te protejam...:)

Comentar post

pesquisar

 

Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Novidades

...

Deixem-me em paz...

Pensamento in "Óscar e a ...

Relacionamento...definiçã...

Seduz-me

Amor

Irrealidades

Tempo

Laços

Escondo-me

Lembranças

Junho 2013

Março 2011

Janeiro 2011

Junho 2010

Maio 2010

Março 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Agosto 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

tags

todas as tags

links

blogs SAPO

subscrever feeds